30 agosto 2013

O hábito intestinal de uma mãe

Depois que o bebê nasce tudo fica um tiquinho mais difícil. Mentira, fica um tantão, mas eu não estou querendo apavorar as gestantes e aspirantes a mãe. rs E uma das coisas complicadas é justamente… ir ao banheiro! Tudo que você queria era 10 minutos de paz e tranquilidade mas o neném parece que adivinha. É você entrar no banheiro e, se ele estava dormindo, acorda. Se estava acordado, dá um show e só quer a mamãe. As opções são: 1. Você faz cocô em 1 minuto, ouvindo um choro sirene durante todo o processo. 2. Você faz cocô com tapa ouvidos, mas sai e seu bebê está roxo de tanto chorar. 3. Você não faz mais cocô. Pra que, não é mesmo? Coisa tão demodé e desagradável, por Deus! 4. Você passa a fazer cocô com o neném em um sling. Escolhi a opção 4, não me julguem!

20 agosto 2013

Na balada do bebê

Minha filha é fofa, é linda, eu a amo e talz. Mas devo confessar que sinto como se não dormisse há meses. Exatamente 3. Minha filha dorme durante o dia, mas acorda a cada 2/3h e fica no peito por 40 minutos. A matemática é fácil. Sobra bem pouco tempo para os pequenos luxos do dia-a-dia como comer ou fazer cocô. Claro que atividades como limpar a casa, cozinhar, pentear o cabelo ou qualquer uma que lembre remotamente o embelezamento não fazem parte da minha rotina de jeito algum. Mas é à noite que o bicho pega e Carolzinha, já demonstrando suas tendências à boemia, desperta impreterivelmente às 2h da matina e, tal qual uma retirante da seca nordestina, se atraca com fúria nas tetas maternas e só solta as 8h. Nesse período tem um ou outro intervalo de 10 minutinhos para troca de fraldas. São momentos em que a “bebéia” solta o vozeirão em gritos e agudos que encheriam de inveja Janis Joplin. Não tenho dúvidas que pari uma futura estrela do rock. O resumo da ópera é que sonho com o dia em que conseguirei dormir 5 horinhas seguidas. Não sou tão ousada de imaginar 8 ou 9 horas. Sou modesta. Cinco horinhas me fariam muito feliz. Quem é mãe, conte-me: quando a gente consegue esse luxo novamente? Devo perder as esperanças? Minhas unhas lascadas e meu cabelo de louca dos gatos andam assustando a vizinhança.

27 novembro 2012

A cegonha deu um pulinho aqui

Então, gente... vem uma bebiezinha por aí! Estou grávida de 4 meses! :-)
Nem parece verdade que tanta coisa passou desde o início desse blog. Desde conhecer meu marido, nosso namoro, casamento e agora... nossa bebê!!!!

14 agosto 2012

Humilhações nossas de cada dia

E aí que o único efeito ruim pós-cirurgia que eu tive foi uma reação ao antibiotico, que me deixou com uma colite...uma diarréia das brabas.
Tive que ir trabalhar levando um pacotinho de lenços umedecidos para evitar a esfoliação anal. Em uma das minhas mil idas ao banheiro, esqueci o pacotinho em cima da mesa. Nisso, entra o técnico e pergunta todo alegre, querendo puxar assunto:
_Nossa, doutora, a senhora tem um bebê?
_Não. Eu tenho diarréia.

12 agosto 2012

Perdendo o juízo de vez

Eu vinha enrolando há tempos. Esse tal de siso doía, eu disfarçava... até que entortou todos os outros dentes e começou a doer direto. Aí não teve jeito. Parti pro dentista com o c* na mão.
Os relatos de horror dos amigos não me ajudavam em nada e pra piorar o tal do dentista queria tirar os danados a prestação: dois agora e dois daqui há um mês.
Mas eu sou daquelas que não gosta de sofrer duas vezes. Tem que fazer? Manda ver. Até porque me conheço, se tirasse só dois dificilmente voltaria para o round 2.
Resolvi então procurar no google sobre sedação consciente ou o famoso "gás hilariante" que a gente vê os dentistas usando nos EUA.
Achei o link de uma dentista que parecia bacaninha e fui pra lá. O preço ficou mais salgadinho, mas gente... VALE A PENA!
Imaginem uma pessoa com fobia de dentista, agora multipliquem por mil. Essa sou eu. Só o barulho do motorzinho e aquele cheiro e eu me encolho toda quero morrer.
Pois eu cheguei cedinho na dentista depois de tomar meu café com pão, que eu sabia que seria a última coisa sólida que comia em muitos dias.
Ela colocou a mascarazinha no meu nariz e logo logo eu estava legal. A gente não fica fora de si nem nada assim, mas parece que está de pilequinho. Pois ela tirou os 4 sisos, sendo que um precisou seccionar, e eu passei o tempo todo rindo e tendo pensamentos mirabolantes.
Em 1h e 30 min tudo tinha acabado e meu marido veio me buscar. Ela explicou os cuidados pós operatórios e fui pra casa. Claro que eu sei que o pós é 100% responsabilidade do paciente, então eu segui bem direitinho.
Cheguei e fui pra cama ficar apoiadinha numa almofada bem alta, com gelo na face durante as primeiras 24h.
Só comi sorvete e coisas geladas no primeiro dia e não bochechei também, para o coágulo não sair.
Pois com esses cuidados, não inchei quase nada, não fiquei roxa e nem tive trismo (aquela dificuldade para abrir a boca).
Por isso amiguinhos, não tenham medo. Mandem ver no gás e sejam felizes!!!

13 julho 2012

Você sabe que precisa descansar quando...

...seu marido chega e diz que seu rímel está borrado.
E você NÃO passou maquiagem.

11 julho 2012

10 julho 2012

E aí casei: em fotos



E aí casei

E foi tudo lindo. O casamento, a viagem pra Aruba. Tudo uma beleza. E só consigo pensar que o stress todo foi injustificado. Mas quem não ficou nervoso em seu casamento que atire a primeira pétala de bouquet.
O bacana é que no meu casamento só estavam 30 pessoas, foi no quintal da minha mãe e então nós nos divertimos muito. Usei um vestidinho cinquentinha como sempre sonhei e o noivo tava lindo de gravatinha borboleta e suspensórios. Casamo-nos ao som de Etta James (At Last) e trocamos juras depois de um texto de Martha Medeiros.



Promessas de Casamento

Em maio de 98, escrevi um texto em que afirmava que achava bonito o ritual do casamento a igreja, com seus vestidos brancos e tapetes vermelhos, mas que a única coisa que me desagradava era o sermão do padre. "Promete ser fiel na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, amando-lhe e respeitando-lhe até que a morte os separe?" Acho simplista e um pouco fora da realidade. Dou aqui novas sugestões de sermões:

- Promete não deixar a paixão fazer de você uma pessoa controladora, e sim respeitar a individualidade do seu amado, lembrando sempre que ele não pertence a você e que está ao seu lado por livre e espontânea vontade?
- Promete saber ser amiga(o) e ser amante, sabendo exatamente quando devem entrar em cena uma e outra, sem que isso lhe transforme numa pessoa de dupla identidade ou numa pessoa menos romântica?
- Promete fazer da passagem dos anos uma via de amadurecimento e não uma via de cobranças por sonhos idealizados que não chegaram a se concretizar?
- Promete sentir prazer de estar com a pessoa que você escolheu e ser feliz ao lado dela pelo simples fato de ela ser a pessoa que melhor conhece você e portanto a mais bem preparada para lhe ajudar, assim como você a ela?
- Promete se deixar conhecer?
- Promete que seguirá sendo uma pessoa gentil, carinhosa e educada, que não usará a rotina como desculpa para sua falta de humor?
- Promete que fará sexo sem pudores, que fará filhos por amor e por vontade, e não porque é o que esperam de você, e que os educará para serem independentes e bem informados sobre a realidade que os aguarda?
- Promete que não falará mal da pessoa com quem casou só para arrancar risadas dos outros?
- Promete que a palavra liberdade seguirá tendo a mesma importância que sempre teve na sua vida, que você saberá responsabilizar-se por si mesmo sem ficar escravizado pelo outro e que saberá lidar com sua própria solidão, que casamento algum elimina?
- Promete que será tão você mesmo quanto era minutos antes de entrar na igreja?

Sendo assim, declaro-os muito mais que marido e mulher: declaro-os maduros.
Martha Medeiros"

09 maio 2012

Não era pra fazer...mas faz

Eu já moro com o namorado há 2 anos. É de se imaginar que não faria tanta diferença assim assinar um papel que diz que estamos casados.

Mas, gente, eu não sei o porquê... mas faz.
Eu tenho estado tão ansiosa com essa coisa que nem conto a vocês. Na minha cabeça, só vem a lembrança aqueles casais que namoram durante trocentos anos e aí faltando uma semana para o casamento, acontece uma tragédia que mata a noiva, o noivo ou os dois.
Eu ando tendo cada pesadelo cabeludo!
Já sonhei que o avião caía e eu morria.
Já sonhei que o namorado batia com o carro e morria.
E o mais bizarro de todos: sonhei que o namorado era gay e estava tendo um caso com irmão da ex-namorada dele.
Deixa eu ir ali bater na madeira, que eu ganho mais. Beijos.

01 maio 2012

A mentira

Eu vou agora jogar uma grande bomba que vai me valer vibrações de ódio muita gente pela web afora. Mas vou dizer assim mesmo: Amigos, a "Solteira Feliz" é uma grande mentira. É uma grande balela que a gente conta pra gente mesma quando está num intervalo amoroso.
Pode se morder de raiva e me chamar de Noivinha Reacionária. Mas, meninas, sejamos honestas pelo menos uma vez. Ninguém precisa ver a sua cabecinha balançando ao concordar com minha afirmação. Sejamos honestas. Em todas aquelas vezes que você saiu na sexta ou sabado à noite com suas amigas "só pra dançar", na verdade você carregava no peito uma esperançazinha de que seria a última vez que você ia sozinha. De que DAQUELA VEZ você ia conhecer O Mr Right e toda sua vida se transformaria num enjoativo videoclip romântico, com musicazinha ao fundo enquanto vocês andariam na orla em direção ao por-do-sol. Eu sei que é assim.
Eu também passei por isso. Colocar fotos suas no Facebook "curtindo loucamente", enquanto no fundo tudo o que eu desejava era estar de mãozinhas dadas assistindo um filme besta qualquer.
Mas estou perdendo o ponto aqui.
O ponto é que muita gente se ilude de que essa "Vida Loka" é tudo de bom e não dá chance pro amor. Eu não estou sendo piegas, mas me deprime ver homens e mulheres afirmando que não abrem mão de nada por alguém.
Porque o amor, meninas, é invariavelmente abrir mão de alguma coisa. De muitas coisas. Para dar certo como casal, temos que fazer concessões. O outro, por sua vez, estará fazendo também, acreditem em mim.
É muito triste também ver as pessoas abrindo mão de amores lindos, por pouca coisa.
Ninguém disse que seria fácil viver a dois. Minto. Essa é a segunda mentira do post de hoje: Hollywood disse. Mas Hollywood estava mentindo.
Nem sempre vai ser musical, colorido e alegre o cotidiano. Muitas vezes não é.
Vejo muita gente por aí que não tem paciência e acha mais fácil derrubar o castelo de cartas inteiro no chão e começar de novo do zero. Com outra pessoa. Só esquecem que o momento chato vai chegar de novo, não importa com quem você esteja. Nenhum relacionamento será beijinhos e sexo o tempo inteiro.
Mas se você listar na sua cabecinha todos os motivos que te fizeram se apaixonar por essa pessoa que dorme ao seu lado, que reclama, resmunga mas que te faz rir e te beija de uma maneira tão certa que você nem sabe explicar como é... Bem, eu tenho certeza de que você vai esquecer a parte chata e se apaixonar de novo.

28 abril 2012

Sonhos e outras delícias

Namorado conseguiu FINALMENTE que "Hugo Cabret" rodasse na TV. Mas aí, né, já eram umas 23h e eu caí no sono no colo dele.
Sonhei que comia rodízio de gelattos, rodízio japonês e outras gostosuras.
Uma meia hora depois, ele me acorda e pergunta se está tudo bem.
_ Está sim, por quê?
_ Você estava mastigando enquanto dormia.
Gente, o que fazer quando até dormindo você come! Pelamordedeus, assim fica dificil emagrecer. Terei que arrumar uma dieta onírica!

21 abril 2012

Superimaginativa

Namorado não é muito afeito a atividades radicais como caça de baratas. Outro dia, estávamos na sala, tranquilamente vegetando em frente a TV, quando uma barata passou sorrateira por trás do sofá. Namorado tomou chá de evaporol e eu, munida de uma chinela, assassinei a desgraçada a sangue frio. Depois de toda a emoção do safari baratístico, comentei com o noivo:
 "Engraçado... Como essa barata chegou aqui? Pela janela?"
"Amor, a gente mora no DECIMO PRIMEIRO andar! Pra ela chegar voando aqui, só se ela tivesse ajua de uma torre de controle"
Na mesma hora, consegui imaginar a barata se comunicando com a torre de controle:
 "Atenção, torre! Permissão para pousar.

19 abril 2012

Autoria

Se tem uma coisa divertida nessa tal de internet é ver as frases mais estapafúrdias escritas como se fossem de algum escritor/personagem famoso. Coisas que você lê e OBVIAMENTE não foi o fulano que escreveu.
Arnaldo Jabor e Carlos Drummond de Andrade já tiveram tantas palavras enfiadas em suas bocas que não sei até hoje como não engasgaram e morreram sufocados. Aliás, não sei como isso não aconteceu com o Jabor, porque o Carlos está morto há tempos e simplesmente não tem como se defender dessas agressões frasísticas. Não ficaria surpresa se um dia ele baixasse em um centro espírita, revoltado, pedindo por direito de resposta.
Enfim, divago. O fato é que vi um amigo de facebook fazendo uma brincadeira em que cada um dizia uma frase doida e atribuía a uma personagem. Rachei de rir e a cabeça já começou a caraminholar algumas:

"Imposto de renda é a puta que o pariu. Temos que dar um jeito de driblar essa merda" (Al Capone)
"Relaxa. Ninguém vai ficar sabendo" (Fernando Collor de Mello)
"Toda mulher gosta de apanhar. E no fundo todas são  mulheres-fruta" (Nelson Rodrigues)
"Torna-te quem teu dinheiro te permite ser." (Nietzsche)

13 janeiro 2012

A balzaca ainda dá caldo!

Estava eu trabalhando hoje, a fila de espera maior que a da UPA de Copacabana em dia de reveillón, quando me adentra um indivíduo para fazer exame periódico.
Devia ter uns vinte e poucos anos, no máximo trinta. Boa pinta, altão... Sem querer liberar spoiler, mas já o fazendo, chamarei-o de D. Juan em futuras referências e logo vocês entenderão o porquê de tão sexy apelido.
Entrou e eu fiz uma anamnese básica, o exame físico e expliquei a ele que a pressão estava um pouco alta, que ele devia fazer um controle para ver se estava subindo sempre ou se foi uma exceção.
B: _ Pode ter subido um pouco por você estar nervoso. Isso é normal.
D. Juan: _ É. Eu estava nervoso mesmo.
B: _ Eu sei. Exame médico sempre causa um certo estresse.
D. Juan: _ Não. Não foi o exame.
Confusa, olhei-o sem entender.
B: _ Não?
D. Juan: _ Foi a sua boca. Ela é muito linda.


Minha expressão, nesse momento de puro choque, foi exatamente essa aí embaixo:


Desviando o assunto, tentei fingir que não tinha ouvido nada.
B: _ É só aguardar na sala de espera que a secretária vai lhe entregar seu exame.
D. Juan: Eu não vou voltar aqui?
B: _ Não.
Paciente: _ Que pena!
Meu sorriso foi tão amarelo quanto gema de ovo caipira. Mas assim que ele saiu, eu caí na gargalhada, de sentar no chão para conseguir rir com mais gosto.
Sério, gente... pode isso?

08 janeiro 2012

Depois do Happily Ever After

Morar junto é um exercício de auto-conhecimento e tolerância e mais do que tudo: um teste de amor.
Porque, amigas, preciso contar a verdade para vocês: o Prince Charming também caga, peida e acorda de mau-humor. Eu seeeeeei. Eu sei que isso foi um choque.
Mas recuperem os sentidos que eu tenho mais revelações sobre depois do happily ever after.
Situações que só a vida a dois te proporciona:

1. A bagunça. Sua mãe te enchia a porra do saco para arrumar as coisas, mas ela ia lá e arrumava quando você não estava a fim. Aí fostes morar sozinha e passastes a ter que fazer as coisas mas a bagunça era só sua. E se você não estava com saco, deixava o cinzeiro encher até sua casa feder como boate de strip e a geladeira estar cheia de bolor da cenoura safra de 1984. Mas a dois é diferente. Porque a bagunça é multiplicada por dois. E das duas uma: ou seu conjuge é bagunceiro pra cacete e você está eternamente fodida, tendo que arrumar a zona dobrada. Ou ele é organizado e você está eternamente fodida pois ele vai te encher o saco pela sua zona.

2. O fim do mistério. Esse item fala sobre aquele mágico momento em que você vai dormir e o Prince Charming aponta a bunda pro lado e peida tão intensamente que as paredes tremem. Ou ainda, aquele instante em que você está tão cansada que até levantar a sobrancelha parece trabalho para o Hércules e aí você pensa" What the hell?" e manda um flato matador rezando para que seu respectivo esteja em sono profundo e não acorde com o cheiro que parece emanar da boca do próprio sete peles. Ou ainda daquele momento em que você acorda com a cara amassada no seu pijama velho, dá de cara com o marido numa roupa que parece saída de uma hecatombe nuclear, com remela no olho e os dois percebem que ninguém acorda como nos filmes de comédia romântica.

3. A comida. E aí? Quem cozinha? Dako é bom? Todas são questões válidas e de difícil resposta. Mas a não ser que algum de vocês AME cozinhar todos os dias, essa será uma questão de eterna procura por equilíbrio. E eu, pessoalmente, não gosto de Dako. Prefiro GE.

4. Bufunfa Se você casou com o Eike Batista, não tem com que se preocupar. Provavelmente já assinou um contrato pré nupcial que diz que tudo o que ele tinha antes do casamento, durante ou depois é dele. E o que você tinha, tem ou terá também é dele. Afinal o homem não ficou rico fazendo caridade, né? Acorda, minha filha! Maaaaas, se você casou com alguém pertencente à plebe, como você, dinheiro é um assunto delicado. Creio que o importante é sempre conversar sobre o assunto para não criar nenhum atrito depois.

5. O cigarro Eu sei. Você sempre fumou cagando. Ou vendo TV. Ou cozinhando. Ou tomando banho (eu nunca fiz isso, mas alguns pacientes já me relataram isso, então incluo aqui). Mas agora vocês são duas metades da mesma laranja, um pinguim e sua geladeira, um par de vasos etc. Então, não se enganem: se o pinguim não quiser, a geladeira não pode fumar em qualquer lugar do apartamento. Por isso, nada melhor do que o xaxim esclarecer para a samambaia exatamente quais são os limites da nicotina no lar doce lar.

E por enquanto é isso. Em breve, novas notícias do front.

Rabugentamente falando

Tem uma coisa que me irrita pra cacete. Aliás, deixem-me ser honesta: uma não. Váaaaaarias.
Eu sou tão rabugenta quanto a Fernanda Young, preciso admitir.
Mas, voltando ao assunto do post, tentarei me ater à UMA coisa.
E essa uma coisa é: gente ETERNAMENTE feliz no Facebook.
Não sei para vocês, mas enche meu saco entrar no Facebook de mau-humor, bad hair day ou whatever e dar de cara com atualizações cheias "de amor para dar" de quem acha que o mundo é liiiiiiiiindo e só posta frases "construtivas", fotos "lindas" e afirmações de como são perfeitos e felizes.
Vão todos tomar no baricentro, né?
Nada me tira da cabeça que essa gente tá se afogando em Prozac. Tenho dito.

05 janeiro 2012

De hora em hora os resultados da Tele-sena

Namorado hoje "esqueceu de almoçar". Sério, QUEM esquece uma coisa dessas?
Está aí uma coisa que eu realmente precisava esquecer. Mas eu não consigo. Eu sempre me lembro. Aliás, repetidamente. Às vezes até de hora em hora. Praticamente uma Tele-sena alimentar.
Poor me.

30 dezembro 2011

Encosto de Dona Maria

Eu não gosto de fazer faxina. Ok, isso foi um eufemismo. Eu ODEIO fazer faxina.
Mas existe um fenômeno que eu batizei de "encosto da Dona Maria" e ele funciona da seguinte maneira:
se a casa está suja, eu finjo que não estou vendo. Fico um pouco incomodada, mas beleza.
Agora... se eu resolver fazer faxina, desce esse encosto e aí, meu nêgo, fudeu. Porque depois que eu termino, eu fico absolutamente neurótica e cada farelinho no chão é motivo para me deixar bem puta. Eu viro o capiroto com vassoura e esfregão.
Tenho pena do namorado nessas horas.